estrategiadevenda

Pontos positivos

– alguns feedback bem positivos espontâneos (expor o produto trará bons resultados)

– Bons feedback provocados mesmo levando em consideração a contaminação emocional dos entrevistados.

– Produto diferente percebido como “novidade” o que aumenta o valor percebido. (explorar isso no inicio do discurso de vendas)

 

– Apesar de o produto ser produzido em escala de produtividade, a variação dos tons da madeira criam no publico a idéia de um produto artesanal, o que também aumenta o valor percebido. (explorar a necessidade de auto afirmação)

 

– Valor agregado bem impresso mesmo sem nenhuma explicação. Apenas as fotos instigaram perguntas sobre procedência da madeira e sustentabilidade. (trabalhar os valores agregados nas entrelinhas do texto de vendas)

– Feedback solicitando valor de compra indicando intenção de compra em alguns entrevistados

– Até aqui o único feedback em relação ao preço proposto foi positivo

 

– Existe uma parcela bem específica de público que demonstrou empolgação, que compraria apenas por ver o produto.

 

 

Pontos negativos a serem solucionados (do mais simples ao mais complexo)

 

– Algumas pessoas demonstraram preocupação com tamanho, peso, procedência da madeira, se o material é anti alérgico, etc.
Soluções:

-Esclarecer esses fatores no texto de venda.

-Fazer fotos com objetos próximos que sirvam como referência de tamanho. (moeda, caneta, lápis, etc)

– Fazer fotos com modelos reais usando as peças.

 

– Ao passo que algumas pessoas gostaram do fecho proposto, outras acharam ele grosseiro.

Solução:

Avaliar nos próximos 15 dias se o fecho proposto pode ser um fator inibidor de vendas e, caso isso se confirme, abrir a opção do comprador escolher entre dois tipos de fecho diferente, um mais tradicional e o outro proposto. (já providenciar a compra dos anzóis padrão)

 

– Existe um publico que gosta da proposta mas não é tão empolgado quanto o publico citado como ponto positivo. Esse público tem receio da reação que outras pessoas vão ter ao vê-las usando o produto.
Solução:

Dar no discurso de vendas argumentos para que essas pessoas rebatam as criticas que possam receber e se sintam “saindo por cima”.

– Temos dois públicos. Um público final que é o usuário. E o outro que é o revendedor. Como estamos propondo algo que aparentemente é novidade no mercado, o revendedor pode ter receio de investir em algo que o consumidor final não conheça.
Soluções:

– Investir em mídia institucional que atinja o consumidor final, dando assim segurança ao revendedor.

 

– Fazer parceria com desfiles em que as modelos usem os brincos.

-Fazer parcerias com lojas para que os manequins de vitrine usem os brincos

 

– Dar ao revendedor a possibilidade de receber o investimento de volta mediante devolução do material não vendido.

 

– Oferecer ao revendedor acesso ao Portal Clube do Dudi para treinamento em técnicas de venda

– A necessidade de investir em mídia institucional, acelera uma decisão sobre a marca. A marca proposta tende a ser polêmica e num primeiro momento e isso desviaria o foco para duas frentes simultâneas o que pode se mostrar inviável e até desastroso.
Solução:

Lançar uma marca mais simples, padrão e estudar a possibilidade de lançar a marca Vaca Bagual mais a frente, com estratégia de publicidade mais robusta.

 

 

– O revendedor que atende o nosso público alvo, pelo menos até aqui, demonstra não ir buscar seu estoque nos canais que vamos explorar a principio. (Mercado Livre e OLX).
Fica o problema de como chegar a esse revendedor.
Soluções possíveis:

– Primeiramente avaliar se realmente os canais padrão (ML e OLX) não serão conversores. Caso isso se confirme:
– Buscar os pontos de venda destes revendedores e oferecer o produto através de venda direta

– Tentar identificar canais ou lugares onde seja possível encontrar quantidade desse tipo de revendedor.

– Tentar criar nossos próprios pontos de venda em parceria com pessoas que tenham o perfil de revendedor para nosso publico final. Com o tempo isso evoluiria para uma franquia onde o revendedor que criamos a parceria passaria a ser dono do ponto porém com compromisso de compra do nosso produto.
Seria como financiar para essas pessoas a franquia.

– Anunciar com influenciadores digitais que atinjam esse público de revendedores. (bom, aqui vamos sair da ilha… não é só na área de criação que se viaja. Tem gente que, assim como você vive correndo atrás da mangaba, vivem correndo atrás de idéias fantásticas e mirabolantes de venda. A idéia de anunciar com influenciadores é boa? Sim! Claro! Mas não tenho dinheiro para isso. Então é uma idéia que vem e deve ser colocada na gaveta para uso futuro. E acabou.

Mas, tenho clientes que nessa hora fazem igualzinho a você: “ave você também dudi! Não to dizendo que vou fazer isso agora. É uma idéia para o futuro…”
E ai mora uma areia movediça perigosíssima! Se é para o futuro, deixe o futuro chegar. Não fique viajando e mirabolando em algo que não serve para agora, e as contas se acumulando.)

 

Evoluções possíveis (apenas registro para o futuro, sem desperdiçar foco aqui)
é aqui que o seu comportamento e o de muitos empreendedores fica o tempo todo. E ai o negócio não anda.

 

– Anunciar com influenciadores digitais que atinjam esse público de revendedores. (aqui sim é o lugar dessa idéia.)

 

– Criar peças pequenas, mais delicadas para conquistar um público alvo mais conservador.

 

– Comprar uma multiseccionadora para aumentar a produção

 

– Trabalhar uma marca para converter em grife

 

– Comprar uma trefiladeira para modelos redondos